Antena Livre

Fundão, Seia e Guarda recebem evento “inPULSOS” dia 6 de outubro

Fundão, Seia e Guarda vão receber, no dia 6 de outubro, o evento “inPULSOS”, realizado no âmbito da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura, que combina música, tecnologia e uma experiência audiovisual em tempo real.
Estão programados dois concertos que vão acontecer em simultâneo (no Auditório da Moagem — Cidade do Engenho e das Artes, no Fundão, e no Auditório da Casa Municipal da Cultura de Seia, unidos numa transmissão via rádios locais, acompanhada de uma atuação de ‘live visuals’ no café-concerto do Teatro Municipal da Guarda) e uma mesa redonda sobre “Transdisciplinaridade para uma sociedade culturalmente integrada”.

Em palco vão estar os músicos Vítor Joaquim, João Silva, André Hencleeday, Ulrich Mitzlaff e a artista visual Alba Corral.

A Rádio Altitude, a Rádio Cova da Beira e a Rádio Antena Livre, vão assumir a transmissão do evento.
Os promotores referem em comunicado enviado à agência Lusa que o projeto “inPULSOS” partiu do conceito de sinapse, utilizado no âmbito da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027 para “desafiar a inteligência, a criatividade e a produção cultural”.

“O evento define-se, assim, como um ‘sistema nervoso cultural’ constituído por diferentes polos de criação e interpretação, ou ‘neurónios’, cuja relação/interação em tempo real resulta numa performance na qual a música é o impulso cultural”, acrescenta.

A inspiração para o projeto “surgiu alinhada às premissas da iniciativa STARTS — Science, Technology and the Arts, desenvolvida e apoiada pela Comissão Europeia, cuja missão é desenvolver projetos de inovação tecnológica, centrados nas necessidades e valores humanos, através da cooperação entre cientistas, artistas, indústrias, empresas de tecnologia e sociedade”, é justificado.

Sobre o “inPULSOS” e o seu enquadramento na Guarda 2027, Pedro Gadanho, diretor executivo da candidatura, explica, citado na nota, que o projeto é “um exemplo brilhante da interação que a Guarda 2027 deseja estabelecer com os agentes culturais” do país.

“Acolhemos a ideia que nos foi apresentada por alunos finalistas da Escola das Artes da Universidade Católica do Porto, oferecendo-lhes um valor de ‘capital semente’ para concretizarem um inovador projeto multimédia”, justifica.
Apesar da pandemia e dos possíveis constrangimentos, Pedro Gadanho acredita que o “inPULSOS” conseguiu “implementar uma nova abordagem à presença da cultura contemporânea no território da Beira Interior, envolvendo diferentes municípios, rádios locais e artistas de várias proveniências no campo da música eletrónica”.

“Para a Guarda 2027, esta é uma verdadeira antecipação das dinâmicas que ambicionamos implementar se conquistarmos o título de Capital Europeia da Cultura de 2027”, remata.