Antena Livre

O que vão fazer as Câmaras da região em 2020

GOUVEIA

O município gouveense aprovou uma dotação de 22,2 milhões de euros para 2020 e dará, entre outras ações, continuidade à reabilitação urbana na cidade, como é o caso do mercado municipal e as duas fases da requalificação do espaço da ex-Bellino & Belino.

Em 2020 será também desenvolvido o projeto de melhoria do Parque Biológico e prolongado o programa “1º Direito”, no âmbito da Estratégia Local de Habitação, destinado a reabilitar áreas não só na cidade de Gouveia, mas também nas freguesias. A Câmara serrana também pretende investir em equipamentos desportivos, como nos balneários do campo de futebol de “Os Vilanovenses”, do campo de ténis de Gouveia e nos balneários das piscinas descobertas.

SEIA

O orçamento da Câmara de Seia para 2020 é de 27,2 milhões de euros. O documento apresenta, segundo a autarquia, «o maior índice de investimento público da última década». No próximo ano a edilidade aposta na rentabilização de recursos e renegociação da dívida, investindo na saúde, educação e ação social, bem como na reabilitação do parque escolar. Entre as obras previstas destaque ainda para o projeto de regeneração urbana “Porta da Estrela”, a requalificação dos edifícios da Casa Municipal das Artes (Conservatório) e a Biblioteca Municipal, (ambos em curso) e o Centro de Interpretação da República “Afonso Costa”. Estão também programas intervenções em rodovia.

FORNOS DE ALGODRES

A Câmara Municipal aprovou um orçamento para 2020 de 6,9 milhões de euros, que é marcado por encargos com a dívida municipal, que ronda os 27 milhões de euros e representa um encargo anual de 1,1 milhões de euros.
Nesse sentido, as prioridades da autarquia continuam a ser estes encargos, seguidos da concretização de obras como a requalificação da escola do ensino básico de Figueiró da Granja e o início da requalificação do mercado municipal e da construção de uma área de acolhimento empresarial em Juncais. O município vai prosseguir com os apoios à ovinicultura e bovinicultura.

TRANCOSO

O município aprovou um orçamento de 15,8 milhões de euros, que assenta na consolidação das contas e na recuperação da sustentabilidade financeira.

Em 2020, a Câmara prevê concluir, entre outras, as obras de requalificação do Estádio e do Canil Municipal, adaptar o edifício do antigo posto da GNR a incubadora de empresas, requalificar o Palácio Ducal para Museu da Cidade e Auditório Municipal e executar a valorização do castelo. A edilidade mantém os apoios no domínio da ação social, desporto e associativismo.

ALMEIDA

O orçamento do município para 2020 é de 14,7 milhões de euros e contempla as obras de recuperação do edifício para o quartel da GNR de Vilar Formoso, a realizar em conjunto com o Estado.
Também com o apoio do Governo, será lançado o projeto para a recuperação do Parque TIR e para criação de novas acessibilidades rodoviárias em Vilar Formoso. A autarquia prevê ainda realizar intervenções nas Portas de São Francisco e de Santo António e no Quartel das Esquadras, além de requalificar a Rua do Comércio, todas na sede do concelho. Em 2020 avançar-se-á com um plano de intervenção no rio Côa para a valorização dos recursos hídricos locais e do património. O próximo ano será também decisivo para a candidatura de Almeida a Património Mundial da UNESCO, no âmbito da proposta das Fortalezas Abaluartadas da Raia, que envolve também os municípios de Marvão, Valença e Elvas.

AGUIAR DA BEIRA

A autarquia tem 10,9 milhões de euros para dar continuidade à «promoção económica, social, cultural e turística do concelho» e para realizar projetos como o “Aguiar da Beira OFL (Orientering For Life)”, o “Caminhos de Açores” (Programa Renovação de Aldeias) e o “Comunicarte3D”.

No plano, entre outras ações, está também a requalificação do Dólmen de Carapito e zona envolvente, do Largo da Carvalha e a preparação da receção do Mundial de Juniores de Orientação, que terá lugar em 2021. A autarquia irá apoiar o empreendedorismo através do Gabinete de Inserção Profissional, do projeto “Cowork Aguiar da Beira” e do Gabinete de Apoio Municipal ao Desenvolvimento Económico, no qual se insere o Apoio ao Agricultor.

BELMONTE

A Câmara de Belmonte aprovou um orçamento que ronda os 11 milhões de euros. Entre os projetos e medidas previstas está a construção do Centro Interpretativo de Centum Cellas, no Colmeal da Torre, a requalificação dos Paços do Concelho e obras de beneficiação no castelo. A autarquia pretende ainda avançar, com o apoio do Governo, a reabilitação do edifício do Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral, entre outras medidas. O município também tenciona avançar com a criação da Agência Portuguesa para o Desenvolvimento das Beiras para captar investimento brasileiro e divulgar o concelho no Brasil. E vai assumir a delegação de competências por parte do estado central nas áreas da educação e da saúde.

CELORICO DA BEIRA

O orçamento para 2020 ronda os 10,7 milhões de euros e continua a ser condicionado pela situação financeira do município, cuja dívida ronda atualmente os 15 milhões de euros.
Em termos de investimentos, uma das prioridades para o próximo ano é o arranque das obras de requalificação e de reconstrução da Escola EB 2 3 Sacadura Cabral, com uma verba inscrita de 321 mil euros. A autarquia também prevê dar continuidade a obras de construção de Estações de Tratamento de Águas Residuais em várias localidades do concelho. Estão igualmente previstas obras nas piscinas municipais e na zona do castelo, bem como a criação de um espaço museológico.

FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO

O orçamento da edilidade é de 12,5 milhões de euros e vai dar continuidade a projetos como o Cartão de Saúde Municipal – Figueira Saudável, o programa de Teleassistência, a iniciativa “Cegonha Móbil” – uma rede de transportes concelhia e criar um centro de dia na sede de concelho.

Implementar o projeto “Farmácias Mais Próximas”, que consistirá na deslocação de técnicos farmacêuticos a todas as freguesias do concelho, é outra iniciativa a concretizar no próximo ano. Em 2020 prevê-se ainda requalificar a incubadora de empresas, criar uma zona de lazer na barragem de Santa Maria de Aguiar e concluir o Centro Interpretativo da Batalha de Castelo Rodrigo, entre outras obras.

GUARDA

A Câmara tem um orçamento de 51,8 milhões de euros para o novo ano.
Entre as obras previstas para 2020 destaca-se o arranque de projetos como o CET – Centro Exposições Transfronteiriço, o CIT – Centro de Inovação Transfronteiriço, o Centro de Valorização de Produtos Endógenos e os Passadiços do Mondego. A autarquia pretende ainda iniciar a regeneração da Praça Velha e do centro histórico, que contempla a criação do Centro de Interpretação da Cultura Judaica. A candidatura da Guarda a Capital da Cultura 2027 é outra ação em destaque no orçamento num município que destina 12,5 milhões de euros para as funções sociais e 16 milhões para as funções económicas e de apoio ao empreendedorismo.

MANTEIGAS

A Câmara serrana aprovou um orçamento de 7 milhões de euros, que contempla verbas para o estudo de uma ligação mecânica para as Penhas Douradas.

No próximo ano, o autarquia pretende continuar a «valorizar o património e a promover o território» com a recuperação de espaços públicos e urbanos e apostando em projetos ambiciosos, como é a ligação por teleférico entre Manteigas e as Penhas Douradas. O município vai também apostar na eficiência energética (substituição de todas as lâmpadas por tecnologia Led) e na execução de um projeto que visa a melhoria da qualidade das habitações, entre outras iniciativas. Em 2020 a Câmara irá também lançar o concurso público para concessão da licença de exploração de uma unidade de engarrafamento de água. E prevê concluir o Centro de Energia Viva de Montanha.

SABUGAL

A autarquia raiana tem para 2020 um orçamento de 24 milhões de euros que dá prioridade a obras de requalificação urbana, particularmente na sede de concelho. A qualificação e preservação ambiental, a valorização das atividades e valores do mundo rural, são outras das apostas do município para «conter o despovoamento, promover o território, atrair investimentos que criem emprego e fixem população no concelho».

PINHEL

O município tem 18,6 milhões de euros para aplicar em 2020, sendo prioritárias obras como a requalificação do Agrupamento de Escolas de Pinhel e a recuperação do Parque da Trincheira. A autarquia também tenciona abrir uma nova acessibilidade ao centro da cidade e que será denominada “Avenida Cidade do Vinho 2020”, num projeto que contempla a criação de um parque TIR que também será usado para a realização das Festas da Cidade e para as feiras anuais ao ar livre. O município tenciona ainda arrancar com o projeto “Ver e Sentir o Falcão”, que integra a construção de uma falcoaria (junto ao castelo) e do miradouro da Faia, na aldeia de Azêvo, entre outras ações e medidas na área da Educação, Ação Social, Cultura e Desporto.

VILA NOVA DE FOZ CÔA

O Plano e Orçamento para 2020 terá uma dotação financeira de cerca de 13,7 milhões de euros.
A autarquia vai dar continuidade a obras iniciadas no ano que está a terminar, caso do novo mercado municipal e do Foz Côa Story House Hotel, e arrancar com o projeto dos Passadiços do Côa. O tratamento de esgotos e águas residuais em todo o concelho é outra das prioridades, tal como o apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e a dinamização do projeto “Saúde Sobre Rodas”, que leva atividades físicas e de bem-estar às populações das aldeias fozcoenses.